R$1.068,48
Com PROFOR: R$ 534,24



 ANAIS DA SEMANA ACADÊMICA DO CURSO DE ENFERMAGEM DA FRT 

CLIQUE PARA VISUALIZAR

OBJETIVOS

Objetivo geral

Formar Enfermeiros com caráter generalista, humanista e qualificados para o exercício de Enfermagem, com condições de atuar em todos os níveis de atenção à saúde, com capacitação para promover a saúde integral do ser humano, das famílias e da comunidade e a qualidade e humanização do atendimento, pautados nos princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde.

Objetivo Específico

  • Proporcionar conhecimentos biológicos, epidemiológicos, anatômicos, fisiológicos, fisiopatológicos, farmacológicos, parasitológicos, microbiológicos e imunológicos para o entendimento do processo saúde-doença;
  • Proporcionar compreensão crítica dos determinantes socioculturais, antropológicos, comportamentais, éticos e legais, nos níveis individual e coletivo, que impactam no equilíbrio das necessidades sociais em saúde e necessidades singulares da pessoa ou coletivos;
  • Apresentar os recursos semiológicos, técnicos, metodológicos, diagnósticos e terapêuticos que instrumentalizam a ação do Enfermeiro nas diferentes áreas de atuação profissional;
  • Embasar a formação profissional nas competências técnica, científica, ética, política e social do exercício da Enfermagem;
  • Proporcionar uma formação que demarque o espaço profissional do Enfermeiro no campo da gestão, da assistência, do ensino, da pesquisa, do empreendedorismo e do controle social no setor saúde;
  • Capacitar enfermeiros com conhecimentos, habilidades, atitudes e autonomia para a atuação na prevenção, na promoção, na recuperação, na reabilitação e na atenção à saúde em todos os níveis de atenção à saúde;
  • Promover o exercício integral, seguro e humanizado da assistência de Enfermagem com vistas ao cuidado individual, familiar e comunitário nos diversos ciclos vitais;
  • Embasar a formação profissional em experiências teóricas e práticas desde o início do curso, permeando toda a formação de forma integrada e interdisciplinar, a fim de conferir ao futuro enfermeiro a capacidade profissional para atender às demandas e necessidades prevalentes e prioritárias da população, conforme realidade epidemiológica da região e do país, em consonância com as políticas públicas e com os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde;
  • Proporcionar uma formação que envolva conhecimentos, experiências e reflexões acerca do cuidado inclusivo, da acessibilidade, do respeito às diferenças, da educação ambiental e da sustentabilidade, bem como da educação para as relações étnico-raciais, de gênero e de identidade de gênero, dos direitos humanos e da cidadania;
  • Capacitar enfermeiros para pensar criticamente, analisar os problemas de saúde e de enfermagem da coletividade e apresentar soluções para estes, na perspectiva dos padrões de qualidade, cidadania, ética e bioética e dos princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde;
  • Estimular o raciocínio lógico e crítico sobre a produção científica da saúde e da enfermagem e da enfermagem baseada em evidências, bem como a produção e divulgação do conhecimento para o exercício da enfermagem e melhoria da qualidade de vida;
  • Estimular o exercício da Enfermagem de forma colaborativa, interdisciplinar e interprofissional;
  • Desenvolver atividades acadêmicas voltadas ao conhecimento e/ou intervenção dos/nos problemas sociais do contexto geográfico do curso, especialmente por meio da extensão comunitária e da pesquisa; e
  • Incentivar a busca permanente de qualificação profissional compatível com as demandas sob a responsabilidade do Enfermeiro, aprofundando sua formação por meio de cursos de pós-graduação, pesquisa e extensão, bem como de atualização profissional permanente.

COMPETÊNCIAS

A formação do Bacharel em Enfermagem na FRT está alinhada ao disposto nas Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso em consonância com as perspectivas e abordagens contemporâneas da legislação para a Educação Superior em Enfermagem e para o Exercício Profissional.

Ademais, a formação deve atender as necessidades sociais da saúde, com ênfase no SUS e assegurar a integralidade da atenção e a qualidade e humanização do atendimento. O curso objetiva dotar o profissional dos conhecimentos requeridos para o exercício das seguintes competências e habilidades:


Competências e habilidades gerais

  • Aptidão para o desenvolvimento de ações de prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde, tanto em nível individual quanto coletivo, com prática realizada de forma integrada e contínua com as demais instâncias do sistema de saúde, sendo capaz de pensar criticamente, de analisar os problemas da sociedade e de procurar soluções para eles, dentro dos mais altos padrões de qualidade e dos princípios da ética/bioética;
  • Capacidade de tomar decisões visando o uso apropriado, eficácia e custo-efetividade, da força de trabalho, de medicamentos, de equipamentos, de procedimentos e de práticas, avaliando, sistematizando e decidindo as condutas mais adequadas baseadas em evidências científicas;
  • Utilização da comunicação verbal e não-verbal e habilidades de escrita e de leitura na interação com outros profissionais de saúde e o público em geral e na manutenção da confidencialidade das informações a ele confiadas;
  • Aptidão para assumir posições de liderança, envolvendo compromisso, responsabilidade, empatia, habilidade para tomada de decisões, comunicação e gerenciamento de forma efetiva e eficaz, sempre tendo em vista o bem-estar da comunidade;
  • Aptidão para tomar iniciativas e fazer o gerenciamento e a administração tanto da força de trabalho quanto dos recursos físicos e materiais e de informação, bem como para atuarem como empreendedores, gestores ou empregadores; e
  • Capacidade para aprender continuamente, tanto na sua formação quanto na sua prática e ter responsabilidade e compromisso com a sua educação e com o treinamento das futuras gerações de profissionais.

Competências e habilidades específicas

  • Atuação profissional, compreendendo a natureza humana em suas dimensões, em suas expressões e fases evolutivas;
  • Incorporação da ciência e arte do cuidar como instrumento de interpretação profissional;
  • Estabelecimento de novas relações com o contexto social, reconhecendo a estrutura e as formas de organização social, suas transformações e expressões;
  • Desenvolvimento de formação técnico-científica que confira qualidade ao exercício profissional;
  • Compreensão da política de saúde no contexto das políticas sociais, reconhecendo os perfis epidemiológicos das populações;
  • Reconhecimento da saúde como direito e condições dignas de vida e atuação de forma a garantir a integralidade da assistência, entendida como conjunto articulado e contínuo das ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema;
  • Atuação nos programas de assistência integral à saúde da criança, do adolescente, da mulher, do adulto e do idoso;
  • Capacidade de diagnosticar e solucionar problemas de saúde no âmbito de sua competência, de comunicar-se, de tomar decisões, de intervir no processo de trabalho, de trabalhar em equipe e de enfrentar situações em constante mudança;
  • Reconhecimento das relações de trabalho e da sua influência na saúde;
  • Atuação como sujeito no processo de formação de recursos humanos;
  • Capacidade de responder às especificidades regionais de saúde através de intervenções planejadas estrategicamente, em níveis de promoção, prevenção e reabilitação à saúde, dando atenção integral à saúde dos indivíduos, das famílias e das comunidades;
  • Capacidade para coordenar trabalho da equipe de enfermagem;
  • Capacidade de assumir o compromisso ético, humanístico e social com o trabalho multiprofissional em saúde;
  • Promoção de estilos de vida saudáveis, conciliando as necessidades tanto dos seus pacientes quanto às de sua comunidade, atuando como agente de transformação social;
  • Uso adequado de novas tecnologias, tanto de informação e comunicação, quanto de ponta para o cuidar de enfermagem;
  • Atuação nos diferentes cenários da prática profissional, considerando os pressupostos dos modelos clínico e epidemiológico;
  • Identificação das necessidades individuais e coletivas de saúde da população, seus condicionantes e determinantes;
  • Intervenção no processo de saúde-doença, responsabilizando-se pela qualidade da assistência/cuidado de enfermagem em seus diferentes níveis de atenção à saúde, com ações de promoção, prevenção, proteção e reabilitação à saúde, na perspectiva da integralidade da assistência;
  • Coordenação do processo de cuidar em enfermagem, considerando contextos e demandas de saúde;
  • Prestação de cuidados de enfermagem compatíveis com as diferentes necessidades apresentadas pelo indivíduo, pela família e pelos diferentes grupos da comunidade;
  • Compatibilização das características profissionais dos agentes da equipe de enfermagem às diferentes demandas dos usuários;
  • Integração das ações de enfermagem às ações multiprofissionais;
  • Gerenciamento do processo de trabalho em enfermagem com princípios de Ética e de Bioética, com resolutividade tanto em nível individual como coletivo em todos os âmbitos de atuação profissional;
  • Planejamento, implementação e participação dos programas de formação e qualificação contínua dos trabalhadores de enfermagem e de saúde;
  • Planejamento e implementação de programas de educação e promoção à saúde, considerando a especificidade dos diferentes grupos sociais e dos distintos processos de vida, saúde, trabalho e adoecimento;
  • Desenvolvimento, participação e aplicação de pesquisas e/ou outras formas de produção de conhecimento que objetivem a qualificação da prática profissional;
  • Respeito aos princípios éticos, legais e humanísticos da profissão;
  • Interferência na dinâmica de trabalho institucional no âmbito da sua competência, reconhecendo-se como agente desse processo;
  • Utilização dos instrumentos que garantam a qualidade do cuidado de enfermagem e da assistência à saúde;
  • Participação da composição das estruturas consultivas e deliberativas do sistema de saúde;
  • Assessoria a órgãos, empresas e instituições em projetos de saúde no âmbito da sua competência;
  • Cuidado da própria saúde física e mental e busca do seu bem-estar como cidadão e como enfermeiro; e
  • Reconhecimento do papel social do enfermeiro para atuar em atividades de política e de planejamento em saúde.

Área de atuação

O mercado de trabalho para o enfermeiro está em expansão. A categoria tem avançado de modo diversificado, ampliando cada vez mais seus campos de atuação. O Processo de Trabalho do Enfermeiro é caracterizado pela interligação de três grandes principais dimensões relacionadas ao campo de atuação do profissional, quais sejam: a gerência/gestão, a assistência direta e a educação/pesquisa. Outrossim, o empreendedorismo tem sido incorporado cada vez mais nas experiências de trabalho dos enfermeiros, o que se faz pensar em integrá-lo como uma quarta dimensão do campo de atuação dessa categoria profissional.

Na dimensão da gerência/gestão o campo de atuação incluirá a realização de atividades de:

  • Coordenação dos processos de trabalho nas unidades hospitalares, unidades básicas de saúde, secretarias de saúde estaduais ou municipais e universidades, a fim de garantir o funcionamento com qualidade dos serviços de saúde públicos e privados;
  • Consultoria, assessoria e atividades organizacionais nas quais é possibilitado ao enfermeiro uma atuação autônoma e empreendedora no campo da gestão;
  • Gestão da qualidade por meio da avaliação e planejamento dos processos assistenciais com o objetivo de aumentar a segurança dos pacientes; e
  • Gestão de projetos por meio da administração e controle de atividades destinadas a projetos multidisciplinares, como abertura de uma ala hospitalar ou implementação de um novo protocolo em clínicas ou hospitais.

Importante ressaltar que, no estado do Ceará, grande parte dos secretários municipais de saúde são enfermeiros, reiterando o compromisso do Curso de Bacharelado em Enfermagem da FRT com a formação de futuros profissionais aptos para atuarem no campo da gestão.

Na dimensão da assistência direta, o campo de atuação do enfermeiro acontece no âmbito da promoção da saúde, da prevenção de riscos e danos, da assistência e da recuperação, no contexto individual e coletivo, nos três níveis de complexidade da atenção à saúde. Dessa forma, os principais locais de atuação são:

  • a Estratégia Saúde da Família (ESF);
  • os ambulatórios;
  • os hospitais;
  • o Home Care;
  • as clínicas de Enfermagem;
  • as indústrias e empresas; e
  • o atendimento pré-hospitalar.

Ainda nesse campo, são muitas as oportunidades de atuação em áreas específicas, quais sejam:

  • Enfermagem geriátrica – atendimento a idosos, doentes ou não, em domicílio, instituições de longa permanência, clínicas e hospitais;
  • Enfermagem médico-cirúrgica – assistência pré e pós-operatória em prontos-socorros, clínicas e hospitais;
  • Enfermagem obstétrica – assistência integral a gestantes, parturientes e lactantes, com acompanhamento de pré-natal, realização de exames e assistência no parto e no pós-parto. Orientação sobre planejamento familiar;
  • Enfermagem pediátrica – acompanhamento e avaliação do crescimento e do desenvolvimento da criança. Incentivo ao aleitamento materno e orientação dos pais quanto às técnicas e os cuidados com os recém-nascidos;
  • Enfermagem psiquiátrica – assistência de pacientes com distúrbios mentais e psiquiátricos;
  • Enfermagem de resgate – participação em equipes de salvamento de vítimas de acidentes ou de calamidades públicas;
  • Enfermagem de saúde pública – orientação da população sobre a prevenção de doenças e promoção da saúde da coletividade. Atendimento de pacientes em hospitais, centros de saúde, creches e escolas. Formação, capacitação e supervisão dos agentes de saúde; e
  • Enfermagem do trabalho – atendimento ambulatorial em empresas e acompanhamento de programas de prevenção e manutenção da saúde dos funcionários.

Na dimensão da educação/pesquisa, o campo de atuação do profissional de Enfermagem inclui o desenvolvimento de atividades de ensino e de pesquisa, assim como de atividades voltadas para a gestão acadêmica, a saber:

  • no ensino, atua no exercício da docência no nível médio (cursos técnicos em Escolas Técnicas públicas e privadas) e no nível superior (cursos de graduação e de pós-graduação lato sensu e stricto sensu, em Instituições de Ensino Superior públicas e privadas);
  • na pesquisa, desenvolve estudos científicos nas instituições de ensino, em grupos de pesquisa e na orientação de projetos de pesquisa, além de integrar o corpo editorial de revistas científicas e de poder integrar comitê de ética em pesquisa e comitê de ética na utilização de animais. Lida, ainda, com estudos de evidência científica em enfermagem, bem como planeja, implementa e coordena projetos de pesquisas clínicas, como o desenvolvimento de drogas e estudos epidemiológicos, em hospitais, institutos de pesquisa e universidades;
  • na gestão acadêmica, pode atuar como coordenador de cursos (nível médio ou superior) e programas, além de participar de órgãos colegiados atuantes na área acadêmica.

Ainda em se tratando do campo de atuação do enfermeiro na dimensão da educação/pesquisa, é importante mencionar que o avanço da área técnica profissionalizante no país permitiu a expansão de cursos direcionados à formação técnica profissional em enfermagem, sendo este um cenário promissor para a atuação dos egressos dos cursos superiores de enfermagem na docência. Ademais, a formação cada vez maior de enfermeiros mestres e doutores possibilita a inserção desse profissional em programas de pesquisa e de extensão vinculados às instituições de ensino superior. Somado a isso, também tem sido observado no Brasil um crescimento significativo dos grupos de pesquisa, com incremento de produção acadêmica na área da enfermagem e, consequentemente, um aumento da divulgação dessa produção em periódicos científicos, bem como da qualificação dos pesquisadores e dos periódicos da área.

O empreendedorismo inclui um campo de atuação do enfermeiro amplo, no qual ele poderá atuar tanto na promoção da saúde da população quanto na sua recuperação por meio de assistência de enfermagem em consultórios particulares, no domicílio, em cooperativas, em consultorias e auditorias de forma autônoma ou em empresas, na prestação de serviços em eventos ou em áreas especializadas, tais como clínicas de vacinação, amamentação, estomaterapia, transporte de pacientes, ou ainda na comercialização e aluguel de equipamentos e produtos da área hospitalar.

Em 2018, a Conselho Federal de Enfermagem publicou a Resolução nº568/2018, alterada pela Resolução COFEN nº 606/2019, que regulamenta o funcionamento dos consultórios e clínicas de Enfermagem. De acordo com a Resolução, os enfermeiros, quando da atuação em consultórios e clínicas de enfermagem, poderão realizar as atividades de competências regulamentadas pela Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, pelo Decreto nº 94.406, de 08 de junho de 1987, e pelas Resoluções do Conselho Federal de Enfermagem. A norma regulamenta a ação autônoma do enfermeiro, ampliando o atendimento à clientela no âmbito individual, coletivo e domiciliar e o campo de atuação dos enfermeiros e dos futuros egressos.

A Resolução COFEN nº581/2018, alterada pela Resolução COFEN nº625/2020, atualiza, no âmbito do Sistema Cofen/Conselhos Regionais de Enfermagem, os procedimentos para Registro de Títulos de Pós - Graduação Lato e Stricto Sensu concedido a Enfermeiros e aprova a lista das especialidades. Em seu artigo 6º, a resolução cita que as linhas de atuação que agrupam as especialidades do Enfermeiro estão distribuídas em 3 (três) grandes áreas, quais sejam:

  • Área I: saúde coletiva, saúde da criança e do adolescente, saúde do adulto (saúde do homem e saúde da mulher), saúde do idoso e urgência e emergência;
  • Área II: gestão; e
  • Área III: ensino e pesquisa.

A Resolução apresenta as especialidades do enfermeiro divididas por área de abrangência, que serão listadas a seguir para fins de conhecimento:

ÁREA I - Saúde Coletiva; Saúde da Criança e do adolescente; Saúde do Adulto (Saúde do homem e Saúde da Mulher); Saúde do Idoso; Urgências e Emergências:

  1. Enfermagem Aeroespacial;
  2. Enfermagem Aquaviária;
  3. Enfermagem em Acesso Vascular e Terapia Infusional;
  4. Assistência de Enfermagem em Anestesiologia;
  5. Enfermagem em Assistência Domiciliária (Home Care);
  6. Enfermagem em Captação, Doação e Transplante de Órgãos e Tecidos;
  7. Enfermagem em Cardiologia (Hemodinâmica/Perfusionista);
  8. Enfermagem em Central de Material e Esterilização;
  9. Enfermagem em Centro Cirúrgico e Recuperação Pós-anestésica;
  10. Enfermagem em Cuidados Paliativos;
  11. Enfermagem Dermatológica (Feridas,queimados,podiatria);
  12. Enfermagem em Diagnóstico por Imagens (Endoscopia digestiva, radiologia e imaginologia);
  13. Enfermagem em Doenças Infecciosas e parasitárias (Doenças tropicais);
  14. Enfermagem em Endocrinologia;
  15. Enfermagem em Estética;
  16. Enfermagem em Estomaterapia;
  17. Enfermagem em Farmacologia;
  18. Enfermagem Forense;
  19. Enfermagem em Genética e Genômica (Reprodução Humana Assistida);
  20. Enfermagem em Hematologia;
  21. Enfermagem em Hemoterapia;
  22. Enfermagem Hiperbárica;
  23. Enfermagem no Manejo da Dor;
  24. Enfermagem em Nefrologia;
  25. Enfermagem em Neurologia e Neurocirurgia;
  26. Enfermagem Offshore;
  27. Enfermagem em Oftalmologia;
  28. Enfermagem em Oncologia adulto e pediátrica;
  29. Enfermagem em Otorrinolaringologia;
  30. Enfermagem em Práticas Integrativas e Complementares (fitoterapia, homeopatia, ortomolecular, terapia floral, reflexologia podal, reiki, yoga, toque terapêutico, musicoterapia, cromoterapia, hipnose, acupuntura);
  31. Enfermagem em Prevenção e Controle de Infecção hospitalar;
  32. Enfermagem em Saúde da Criança e Adolescente (aleitamento materno, neonatologia, pediatria, hebiatria e saúde escolar);
  33. Enfermagem em Saúde Coletiva (Saúde da família e comunidade, saúde pública, saúde ambiental, pneumologia sanitária);
  34. Enfermagem em Saúde da Mulher (Ginecologia e obstetrícia);
  35. Enfermagem em Saúde do Adulto (Clínica médica e cirúrgica);
  36. Enfermagem em Saúde do Homem;
  37. Enfermagem em Saúde do Idoso (geriatria e gerontologia);
  38. Enfermagem em Saúde Ocupacional (enfermeiro do trabalho, enfermeiro em saúde do trabalhador e enfermagem do esporte);
  39. Enfermagem em Saúde Indígena;
  40. Enfermagem em Saúde Mental (Enfermagem psiquiátrica);
  41. Enfermagem em Sexologia Humana;
  42. Enfermagem em Sistematização da Assistência da Enfermagem-SAE;
  43. Enfermagem em Terapia Intensiva (Adulto, cardiológica, neurológica, pediátrica e neonatologia);
  44. Enfermagem em Terapia Nutricional e Nutrição Clínica (alimentação e nutrição na atenção básica, nutrição enteral e parenteral);
  45. Enfermagem em Traumato-ortopedia;
  46. Enfermagem em Urgência e Emergência (atendimento pré-hospitalar, suporte básico de vida, suporte avançado de vida);
  47. Enfermagem em Urologia; e
  48. Enfermagem em Vigilância (Sanitária, epidemiológica e ambiental).

ÁREA II - Gestão

  1. Direito Sanitário;
  2. Economia da Saúde (Gestão de Projetos de Investimentos);
  3. Enfermagem em Auditoria;
  4. Enfermagem em Gerenciamento e Gestão (administração hospitalar, gestão de saúde, gestão de enfermagem, gestão em home care, gestão da Estratégia de Saúde da Família, gestão empresarial, gerenciamento de serviços de saúde, gestão da qualidade em saúde, gestão de redes de atenção à saúde, gestão da atenção básica, gestão de urgências e emergências, gestão dos resíduos de serviços de saúde, gestão em hotelaria hospitalar, gestão da política nacional de alimentação e nutrição, gestão de avaliação e controle em saúde e acreditação hospitalar);
  5. Enfermagem em Informática em Saúde (Sistema de Informação); e
  6. Políticas Públicas.

ÁREA III - Ensino e pesquisa

  1. Bioética;
  2. Educação em Enfermagem (metodologia do ensino superior, metodologia da pesquisa científica, docência do ensino superior, projetos assistenciais de enfermagem, docência para educação profissional, docência em ciências da saúde;
  3. Educação Permanente e Continuada em Saúde;
  4. Enfermagem;
  5. Enfermagem em Pesquisa Clínica; e
  6. Ética.

MATRIZ CURRICULAR

Componentes Curriculares CH
A Enfermagem, o Curso e a Profissão 40
Análise e Produção Textual 40
Antropologia 40
Biologia Celular 60
Ciências do Ambiente 40
Epidemiologia 40
Oncologia Básica 40
Práticas Interdisciplinares - Enfermagem no Contexto Socioambiental 40
Atividades Complementares - 1a série 40
Componentes Curriculares CH
Anatomia Básica 100
Bioquímica 60
Epidemiologia Clínica - Saúde Baseada em Evidências 40
Histologia e Embriologia 80
Introdução à Sociologia 40
Práticas Interdisciplinares - Bases para o Cuidar do Corpo Humano 40
Atividades Complementares - 2a série 40
Componentes Curriculares CH
Ações Educativas na Enfermagem 60
Fisiologia Humana 100
Imunologia 60
Metodologia Científica 40
Microbiologia 60
Parasitologia Geral 60
Práticas Interdisciplinares - Cuidado e Prevenção dos Agravos à Saúde 40
Atividades Complementares - 3a série 40
Componentes Curriculares CH
Bases Semiológicas da Assistência de Enfermagem 120
Bases Técnicas e Científicas da Assistência de Enfermagem 100
Farmacologia Básica 80
Patologia Geral 80
Saúde Coletiva 40
Práticas Interdisciplinares - Instrumentalização do Cuidar em Enfermagem 40
Atividades Complementares - 4a série 40
Componentes Curriculares CH
Bioestatística 40
Enfermagem no Processo de Cuidar da Saúde da Família  140
Enfermagem no Processo de Cuidar da Saúde Mental  120
Ética Profissional em Enfermagem 80
Práticas Interdisciplinares - Cuidado, Ética e Pesquisa 40
Atividades Complementares - 5a série 40
Componentes Curriculares CH
Enfermagem Baseada em Evidências  40
Enfermagem no Processo de Cuidar da Saúde da Criança e do Adolescente 140
Enfermagem no Processo de Cuidar da Saúde da Mulher 140
Gerenciamento do Processo de Trabalho do Enfermeiro 100
Práticas Interdisciplinares - Enfermagem no Ciclo Vital 40
Atividades Complementares - 6a série 40
Componentes Curriculares CH
Enfermagem no Processo de Cuidar da Saúde do Adulto em Condições Cirúrgicas 140
Enfermagem no Processo de Cuidar da Saúde do Adulto em Condições Clínicas 140
Enfermagem no Processo de Cuidar do Adulto em Condições Críticas 140
Práticas Interdisciplinares - Enfermagem no Cuidado ao Ser Adulto 40
Atividades Complementares - 7a série 40
Componentes Curriculares CH
Enfermagem no Processo de Cuidar da Saúde do Homem 60
Enfermagem no Processo de Cuidar da Saúde do Idoso 140
Enfermagem no Processo de Cuidar da Saúde do Paciente com Câncer 100
Enfermagem no Processo de Cuidar do Paciente com Doenças Infectocontagiosas 60
Enfermagem no Processo de Cuidar da Saúde do Trabalhador 60
Práticas Interdisciplinares - Enfermagem no Processo de Cuidar da Saúde 40
Atividades Complementares - 8a série 20
Componentes Curriculares CH
Metodologia da Pesquisa 40
Optativa - 9a série 40
Estágio Supervisionado - Saúde Pública   480
Componentes Curriculares CH
Optativa - 10a série 40
Trabalho de Conclusão de Curso 40
Estágio Supervisionado - Hospitalar 480
Componentes Curriculares Optativos CH
Direitos Humanos e Diversidade 40
Estomaterapia 40
Interpretação de Exames Laboratoriais 40
LIBRAS 40
Tópicos Especiais em Enfermagem 40
Como funciona?
AGENDADO
ENEM SEM BOLSA
TRANSFERIDOS E GRADUADOS

Mensalidade:  R$1.068,48

Curso 100% presencial


  • Bolsa de estudos

  • Vídeos

  • Editais e manuais

Sua nota do ENEM vale muito na FRT: por meio do programa +Bolsas, você pode ser contemplado com descontos de 30%, 50% e até 100% na sua mensalidade a partir da sua pontuação no Exame Nacional do Ensino Médio.

Com sua nota do ENEM, a partir de 2013, você já está apto para participar. O critério de avaliação é unicamente a média geral do ENEM e serão válidas do primeiro ao último semestre do curso, se respeitadas as condições de desempenho acadêmico.

Confira como a sua pontuação do ENEM funciona:

  • 700 pontos ou mais: Bolsa de 100%*
  • 625 a 699 pontos: Bolsa de 50%
  • 550 a 624 pontos: Bolsa de 30%

* Condição exclusiva para alunos que não estão estudando em outra Instituição de Ensino Superior (IES). 

Além da bolsa você ainda pode aderir ao benefício do PROFOR - o Programa de Apoio a Formação, com um percentual máximo de 25%. Você paga 75% do valor da sua bolsa nas mensalidades durante o curso, e os outros 25% no prazo equivalente ao término do curso. 

Um exemplo: 

Se você ganhou bolsa de 50% para Enfermagem, você irá pagar R$ 504,00 durante todo o curso. Aderindo ao Profor, você terá uma mensalidade durante o curso de R$ 378,00 e o restante do valor depois, no mesmo prazo equivalente ao da conclusão do curso.

O número de bolsas é limitado e, em caso de empate, será levada em conta a ordem de inscrição, respeitando a quantidade de vagas disponíveis.

As condições gerais podem ser consultadas na secretaria da Faculdade Rodolfo Teófilo.

Aproveite essa chance de estudar na faculdade do Instituto do Câncer do Ceará - ICC, a única faculdade particular com hospital próprio para campo de estágio!


Fale Conosco